fbpx
Imprimir
Categoria: JM-Sample-Data
Acessos: 657

Elegância e sobriedade são as palavras mais adequadas para definir as danças padrão. Para executá-Ias, o dançarino deve ter habilidade suficiente para agrupar os movimentos e executar as transições entre os diferentes movimentos com total destreza, sem perder a continuidade, inclusive nas danças mais marcadas como o quickstep.

 

Para obter a continuidade desejada nas danças padrão comece o ensaio praticando a forma característica de avançar-ao avançar a perna direita, adiante o ombro esquerdo e posicione a cabeça de lado, dirigindo o olhar à direita. Como você pode perceber, o movimento da dança não exige apenas o uso das pernas mas de todo o corpo. A flexão dos joelhos é muito usada em danças como a valsa, a valsa lenta e o slow fox para acentuar alguns pontos da dança. É fundamental que a flexão e a extensão dos joelhos sejam realizadas suavemente, sem demonstrar nenhum esforço.

 

Para conseguir isso, faça o seguinte ensaio: mantenha os pés juntos e as pernas retas, flexione os joelhos sem separar as pernas e sem elevar os calcanhares do chão, levante-se novamente e flexione os joelhos mais uma vez, apoiando o peso do corpo na ponta dos pés para que na segunda volta você possa levantar-se paulatinamente sobre os pés. Este movimento envolve tanto a flexibilidade como o equilíbrio. Evite utilizar os braços para manter a estabilidade caso você sinta necessidade. Os movimentos bruscos também devem ser evitados.

As danças de ritmo mais acentuado como a polca e o quickstep, têm em comum o passo chassé, no qual um pé surpreende o outro dando um pequeno salto. Para realizar este passo com facilidade, comece com as pernas juntas, separe a direita e dê um pequeno salto com a esquerda. Agora, repita o exercício separando a perna esquerda. É muito importante praticar este exercício com o ritmo rápido de uma polca ou um quickstep, com um movimento por tempo: separa-salto-separa-salto... Para manter o ritmo, o salto deve ser rápido e de pouca altura.

Um dos problemas mais freqüentes enfrentado pelo aprendiz nas danças padrão são os giros, executados tanto como recurso estético como para mudar de direção - neste caso meia volta.

Para realizar o giro corretamente e não ficar perdido, procure manter o olhar fixo em um ponto qualquer e depois gire o corpo. Você deve mover a cabeça rapidamente e retomar o olhar ao ponto inicial, já que de outra maneira a posição da cabeça ficará incômoda, podendo causar tontura.

 

Para habituar o pescoço a estes movimentos um pouco bruscos, inicie o movimento pela posição direita, incline a cabeça várias vezes para frente e para trás lentamente, sem forçar as vértebras. Deixe a musculatura do ombro totalmente relaxada. Depois, curve a cabeça para a direita e para a esquerda até sentir uma leve tensão no pescoço. A prática desses exercícios ajuda a acelerar o processo de aprendizagem das danças padrão.

 

Dicas para as danças padrão

 

A valsa vienense, rainha da danças de salão e a mais elegante delas, requer um bom rendimento das pernas, uma vez que seu ritmo é bastante intenso. A base da dança é muito fácil, porque não permite muitas coreografias: a parte mais difícil é conseguir um movimento homogêneo que proporcione a sensação de deslizar na pista. A valsa inglesa, ou valsa lenta, parece ser mais fácil por ter um ritmo mais lento, porém requer mais segurança do(a) dançarino{a) pela maior quantidade de movimentos. a segredo da estética desta dança está na flexão dos joelhos no primeiro tempo.

 

O tango argentino e o tango de competição guardam notáveis diferenças: no tango de competição o{a) dançarino{a) não executa movimentos marcados da cintura, os passos são mais longos, a quantidade de "caídas" são menores e os giros de cabeça são mais rápidos. No slow fox, os movimentos para frente e para trás devem estar perfeitamente alinhados. Em função do caráter continuo e fluido do slow fox, é difícil realizar flexões e extensões de joelho realmente suaves. Quando você for dançar o slow fox, lembre-se que os músculos do corpo devem ser usados como se fossem uma mola ou mesmo amortecedores de carro, proporcionando leveza aos movimentos dos pés e às mudanças de distribuição de peso, sem que para isso você tenha que contrair os músculos. a joelho absorve o peso do corpo, quando flexionado. Por esse motivo é que deve ser flexionado antes dos pés receberem peso do corpo.

 

O quickstep é o contrário do slow fox: os movimentos unidos transformam-se em passos saltados e pontilhados, nos quais os pés apoiam-se no chão apenas por um instante.

 

  

  Características das danças padrão  
Dança Estilo Compasso Compasso Tempos Duração Acentos
      por minuto por minuto da competição em tempos
Slow fox Nobre, indiferente, passos amplos 4/4 30 120 1,5-2 minutos 1-3
Quickstep Descontraído, energético 4/4 52 208 1,5-2 minutos 1+3
Valsa vienense Suave, unido, aparência de voar sobre o chão 3/4 30 90 1,5-2 minutos 1
Tango Contraste entre dinâmico e submisso 2/4 30 132 1-1,5 minutos 1+3
Valsa Rotação, balanceio 3/4 60 180 1,5-2 minutos 1

 

Coleção: AS MELHORES DICAS DE DANÇA DE SALÃO

Edições del Prado, 1999.